Preço reduzido! Doutrinação para iniciantes Expandir

Doutrinação para iniciantes

Luiz Gonzaga Pinheiro Luiz Gonzaga Pinheiro

1707

Novo

Criada e desenvolvida por Allan Kardec, a doutrinação espírita é usada para conduzir à luz os espíritos desencarnados. Neste seu novo livro, Luiz Gonzaga Pinheiro retoma o assunto que, em suas palavras, é “uma das mais belas tarefas da casa espírita”, mas também “uma das mais difíceis de executar”. 

Mais detalhes

R$ 28,82

R$ 33,90

-15%

Cálculo do Frete

Aguardando CEP

Mais informações

O professor Luiz Gonzaga Pinheiro sempre nos brinda com obras de grande valor doutrinário. Em Diário de um doutrinador, também publicado pela Editora EME, ele nos mostrou como é importante e indispensável o conhecimento doutrinário, além da indispensável e necessária disciplina moral e mental.

Agora, com este seu novo livro, Doutrinação para iniciantes, o autor retoma o assunto que, em suas palavras, é “uma das mais belas tarefas da casa espírita”, mas também “uma das mais difíceis de executar”.

Criada e desenvolvida por Allan Kardec, a doutrinação espírita é usada para conduzir à luz os espíritos desencarnados. Antes muito voltada aos espíritos obsessores, que necessitavam de esclarecimentos para superarem os problemas de encarnações passadas junto ao obsedado, hoje a doutrinação se destina a todos os espíritos: os que partiram e não sabem, os que suplicam pelo perdão e os que necessitam falar de sua culpa para poderem, enfim, partir em paz. 

Características

AutorLuiz Gonzaga Pinheiro
EditoraEditora EME
Edição - Ano da EdiçãoEd1–2017
I.S.B.N.9788595440005
Altura14
Largura21
Comprimento1.60
Peso0.310 g
Número de Páginas256
IdiomaPortuguês

DOWNLOADS

Comentários

Nenhum comentário sobre este produto, ajude e seja o primeiro!

Escrever comentário

Doutrinação para iniciantes

Doutrinação para iniciantes

Criada e desenvolvida por Allan Kardec, a doutrinação espírita é usada para conduzir à luz os espíritos desencarnados. Neste seu novo livro, Luiz Gonzaga Pinheiro retoma o assunto que, em suas palavras, é “uma das mais belas tarefas da casa espírita”, mas também “uma das mais difíceis de executar”.